segunda-feira, 24 de janeiro de 2011


As inundações que atingem o nordeste da Austrália já afetaram o equivalente à área de França e Alemanha juntas, informaram fontes oficiais.

Dias de chuvas torrenciais deixaram milhares de casas e estabelecimentos inundados, plantações alagadas e estradas fechadas, um desastre que custará vários bilhões de dólares às autoridades locais e às companhias de seguros.

O aumento do nível das águas ameaça alagar mais regiões e milhares de imóveis no nordeste da Austrália, onde as piores inundações das últimas décadas causaram prejuízos bilionários.

Mais de 200 mil pessoas ficaram desabrigadas pelas inundações, que também mantêm isoladas vastas áreas do Estado de Queensland, equivalentes à França e à Alemanha juntas.

Ao visitar a cidade de Bundaberg, o tesoureiro do Estado, Andrew Fraser, se impressionou com o que viu.

- De vários pontos de vista, este é um desastre de proporções bíblicas.

Dias de chuvas fortes provocadas pela passagem do ciclone Tasha inundaram milhares de lares, centenas de estabelecimentos comerciais, campos de cultivo e várias explorações mineiras. O desastre que custará bilhões de dólares às autoridades locais e às companhias de seguros, segundo o tesoureiro.

- Os custos para o Estado serão enormes, tanto na reconstrução de estradas e outras infraestruturas como em ajudas aos desabrigados, mas também nas perdas em agricultura, mineração e turismo.

O governo de Queensland se viu obrigado a adiar a revisão semestral do Orçamento estatal para poder dar conta dos prejuízos.

- As previsões serão afetadas pelos cortes no transporte de mercadorias, e as informações que indicam que muitas minas não recuperarão a plena produção em dois ou três meses.

Rio pode inundar mais 4.000 casas

As equipes de emergência concentram seus esforços na localidade de Rockhampton, onde o nível do rio Fitzroy continua subindo e há a previsão de que alcance seu ponto máximo de 9,4 metros . Se atingir esse nível, o rio pode inundar entre 2.000 e 4.000 casas nos próximos dias.

O prefeito da cidade, Brad Carter, disse que o aeroporto funcionará neste sábado (1º) apenas para voos de emergência. Ele afirmou também que os habitantes da região permanecerão isolados durante um "período longo", diante da previsão de que a água leve ao fechamento de duas estradas no domingo.

Em Emerald, na região central do Estado, o rio Nagoa inundou 80% do município, onde mil casas foram esvaziadas e seus 1.300 habitantes receberam 2011 em um centro de refugiados.

Em Bundaberg, onde 300 casas e 120 estabelecimentos estão debaixo d’água, terá início em breve a tarefa de limpeza, à medida que baixa o nível do rio Burnett. O rio alcançou o máximo de 7,9 metros na última quinta-feira, mas já se encontra a 5,5 metros.

A rainha do Reino Unido Elizabeth 2º, que também é soberana da Austrália, enviou uma mensagem de apoio aos afetados pelas inundações, que diz seguir "com grande preocupação".

A primeira-ministra australiana, Julia Gillard, que visitou a região nesta sexta-feira (31), anunciou a criação de uma linha telefônica para que os afetados solicitem ajuda econômica. Ela prometeu distribuir cerca de R$ 1,7 mil (mil dólares australianos) por adulto e R$ 680 (400 dólares australianos) por criança.

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário