sexta-feira, 30 de julho de 2010

Garrafa PET, um lixo com utilidade

As garrafas PET (politereftalato de etila) movimentam um mercado gigantesco no mundo todo: o das indústrias de bebidas, como de sucos, refrigerantes e outros. Centenas de toneladas dessas embalagens são produzidas anualmente no país, sendo que cerca de 48,7% são descartadas na natureza, contaminando rios, córregos, lixões e terrenos baldios.
Segundo a última versão do Censo da Reciclagem de PET no Brasil, divulgado em 2007 pela Associação Brasileira da Indústria do PET (ABIPET), apesar de ainda crítica, a situação já melhorou muito. De acordo com os dados do censo, o crescimento da reciclagem dessas embalagens no último ano foi significativo, com aumento de 11,5%. Esse resultado colocou o Brasil como o segundo maior reciclador do mundo, atrás apenas do Japão.

Idéias para reciclagem de garrafas PET não faltam.
Elas vão desde enfeites de Natal, até poltronas, camisetas e, acredite, varal. No ano de 2000, no município de Mauá (SP), um grupo de homens e mulheres organizou-se para a formação de uma Cooperativa de Reciclagem, com a finalidade de gerar trabalho e renda para os menos favorecidos, especialmente os catadores.
Em 2003, eles fundaram a Cooperativa de Trabalho dos Profissionais de Reciclagem de Materiais de Mauá (Cooperma). Na busca por soluções, que beneficiassem o meio ambiente e, ao mesmo tempo, gerassem trabalho e renda, o cooperado Claudinei de Lima, inventou o Ecovaral, uma corda para varal produzido com fios entrelaçados de garrafa PET. “No começo, a garrafa era cortada em fios com uma tesoura para trançar numa máquina que existia no mercado. Mas como cortar os fios manualmente era muito trabalhoso, Claudinei projetou uma máquina para fazer esse trabalho de corte”, conta Adoniran B. Vieira.

Desde então, o produto virou um sucesso e a demanda não pára de aumentar.
“No momento estamos trabalhando com seis pessoas para a produção do Ecovaral, mas pretendemos dobrar o número esse ano. Atualmente, produzimos uma média de 8000 unidades por mês; tem surgido cada vez mais procura, por isso estamos em busca de investimento para aumentarmos a nossa produção e conseguir atender essa demanda do mercado”, explica ele.

O Ecovaral já é vendido em algumas redes de supermercados, lojas de utilidades domésticas, eventos etc. Os valores arrecadados com as vendas do Ecovaral e dos materiais recicláveis são revertidos em renda e benefícios para os 30 cooperados.

A Cooperma conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Mauá, que destina resíduos recolhidos pelo Programa AGIR Mauá de Coleta Seletiva. A arrecadação das garrafas pet é feita por meio de doações de algumas instituições como igrejas, associações e algumas escolas e em campanhas educativas.

Segundo o presidente da cooperativa, o trabalho desenvolvido só trouxe benefícios para a comunidade, como inclusão social, geração de trabalho e renda, melhoria nas condições de trabalho dos cooperados, destinação adequada dos resíduos recicláveis, incentivo à reciclagem, sustentabilidade ambiental (preservação dos recursos naturais e economia de energia), prática da cidadania, mudanças de hábitos e aumento da vida útil do aterro sanitário.


Quem quiser saber mais sobre esse trabalho, basta entrar em contato pelo e-mail:
coopermamaua@terra.com.br


Links sobre reciclagem de garrafas PET

http://www.abipet.org.br
http://www.artereciclada.com.br

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário