quarta-feira, 15 de julho de 2009

Comunismo e cristianismo

Devemos, mais do que nunca, escutar o que N. Senhora de Fátima nos tem a Dizer: "Somente Eu posso ajudar vocês."

"Se Minhas ordens não forem acatadas, a Rússia espalhara seus erros através do mundo, fomentando guerras e perseguições a Igreja; os bons serão martirizados, o Santo Padre sofrera muito e varias nações serão aniquiladas."


A completa obediência a N. Senhora de Fátima e o único seguro contra o Comunismo. http://www.fatima.org

As mensagens daquela “Senhora” iriam induzir o papa a fazer “a consagração do seu Imaculado Coração” e, logo em seguida, “a consagração da Rússia”. Ela predisse: “A Rússia se converterá”; “O Santo Padre me consagrará a Rússia”. Mas ela também advertiu que, se isso não fosse atingido, “Os erros dela (Rússia) se espalhariam pelo mundo inteiro, causando guerras e perseguições... e várias nações seriam destruídas”...

No final, contudo, aquela “Senhora” prometeu, como prêmio de consolação, que a Igreja Católica triunfaria, após o que “o Santo padre me consagrará a Rússia”. “A partir daí ela (Rússia) se converterá e um período de paz será concedido ao mundo”.

Dentro de poucos anos o Culto à Senhora de Fátima havia atingido grandes proporções. O número de peregrinos multiplicou-se de 60, em 13/06/1917, para 60.000, em outubro do mesmo ano. De 144.000, em 1923, foi para 588.000, em 1928. O total em seis anos foi de 2 milhões de pessoas.

O Vaticano levou a sério as promessas da Virgem. Eugênio Pacelli, o futuro Pio XII, a “eminência parda” por trás de Pio XI, patrocinou uma política de apoio ao Fascismo na Itália e ao Nazismo na Alemanha, no sentido de cumprir a profecia daquela “Senhora”. Foi então que ele se tornou o instrumento principal da subida de Hitler ao poder. Ele o fez, forçando o Partido Católico a votar em Hitler nas últimas eleições gerais da Alemanha, em 1933. A idéia básica era muito simples. O Fascismo e o Nazismo, além de esmagarem o Comunismo na Europa, também esmagariam a Rússia Comunista. Em 1929, Pio XI assinou uma Concordata e o Tratado de Latrão com Mussolini, chamado por ele de “o homem enviado pela Providência”. Em 1933, Hitler se tornou Chanceler da Alemanha. Em 1936 Franco começou a Guerra Civil.

Em 1938, dois terços da Europa já eram fascistas e os rumores da II Guerra Mundial eram ouvidos mais e mais, em toda parte.Ao mesmo tempo, contudo, a Europa também se tornara “fatimizada”. Ao Culto à Senhora de Fátima, com ênfase sobre a promessa de conversão da Rússia feita por ela, foi dada a maior promoção pelo Vaticano.

Em 1938, o Núncio Papal foi enviado a Fátima e a quase um milhão de peregrinos foi dito que aquela “Senhora” havia confiado três grandes segredos às crianças. Depois disso, em junho daquele mesmo ano, a única sobrevivente das três crianças, controlada pelo seu confessor, sempre em contato com a hierarquia católica, e daí com o Vaticano, revelou o conteúdo de dois dos três grandes segredos.

  • O primeiro segredo foi uma visão do inferno, de acordo com a concepção do clero.

  • O segundo era uma reiteração de que a Rússia Soviética iria se converter à Igreja Católica.

  • O terceiro foi entregue num envelope selado e posto sob a custódia das autoridades eclesiásticas, não podendo ser revelado antes de 1960.

O tempo da última “revelação” não poderia ter sido melhor escolhido, pois daria ao Vaticano um bom prazo para a realização de seus propósitos belicosos.

Em 1938 as ditaduras fascistas já estavam agindo desabridamente e falando a mesma língua: a aniquilação da Rússia Soviética. No ano seguinte estourou a II Guerra Mundial. Em 1940 a França foi derrotada. A profecia daquela “Senhora” finalmente ia se cumprir. No Vaticano havia grande regozijo.

Em 1939, Pacelli já havia se tornado papa com o nome de Pio XII. Pio XII encorajava os católicos a se apresentarem como voluntários no front contra os russos. Os católicos – cuja maioria era devota da Senhora de Fátima – logo se juntaram aos exércitos nazistas da Itália, França, Irlanda, Bélgica, Holanda, América Latina, Estados Unidos e Portugal. A Espanha enviou sua Divisão Azul Católica.

Em outubro de 1941, enquanto os exércitos nazistas se colocavam ao redor de Moscou, Pio XII, dirigindo-se a Portugal, apressava os católicos a orar pela rápida realização da promessa da Senhora de Fátima.

No ano seguinte, 1942, após Hitler ter declarado que a Rússia Comunista tinha sido “definitivamente” derrotada, Pio XII, numa mensagem de Jubileu, cumpriu a primeira das exigências daquela “Senhora”, “consagrando o mundo inteiro ao seu Imaculado Coração”.

O Cardeal Cerejeira (Portugal) escreveu no mesmo ano: “as aparições de Fátima abrem uma nova era... é o delinear do que o Imaculado Coração de Maria está preparando para o mundo inteiro”. A “nova era”, em 1942, era um continente europeu completamente “nazificado”, com a Rússia sendo aparentemente varrida do mapa mundial, o Japão conquistando metade da Ásia, e o Fascismo mundial atingindo o seu ápice.

A Senhora de Fátima iria reinar soberana!

Contudo, ela perdeu a guerra e o Império Nazi-Fascista se evaporou, após o colapso de Hitler.

Em 1945, a II Guerra Mundial terminou. E a Rússia Soviética, para vexatória surpresa de Pio XII e de sua “Senhora”, emergiu como a segunda maior potência mundial, engolindo um terço da Europa.

O culto à Senhora de Fátima, que havia sofrido um tremendo baque, após o suicídio de Hitler, precisava ser reavivado. Em outubro de 1945 o Vaticano ordenou que fossem organizadas enormes peregrinações até o Santuário de Fátima. Em 1946 a Senhora de Fátima foi solenemente coroada diante de meio milhão de peregrinos. A coroa pesando 1.200 gramas era de ouro maciço, com 3l3 pérolas, 1.250 pedras preciosas e 1.400 diamantes. Pio XII se dirigiu do Vaticano aos peregrinos, afirmando que as promessas da Senhora de Fátima seriam cumpridas. “Estai prontos”, ele admoestou. Não pode haver neutros, nem um passo atrás. Organizai-vos como cruzados”. Era a paranóia papal se manifestando e, daí em diante, a humanidade estaria a um passo do abismo!

Em 1947 começou a Guerra Fria. O ódio contra a Rússia Soviética foi promovido, sob os auspícios do Vaticano, o qual enviou uma imagem da Senhora de Fátima, com a sua mensagem anti-soviética, em peregrinação ao redor do mundo. A imagem foi enviada de país em país, a fim de desencadear o ódio contra a Rússia. Todos os governos a saudavam. Dentro de poucos anos, à medida em que crescia a Guerra Fria, a imagem já havia percorrido a Europa, Ásia, África, Américas e Austrália, tendo visitado 53 nações.

A gigantesca brecha entre o leste e o Oeste aumentou. Em 1948 foi iniciada a ameaçadora corrida atômica dos Estados Unidos contra a Rússia. Em 1949, Pio XII, no intuito de fortalecer o front anti-russo, excomungou qualquer pessoa que votasse ou apoiasse os Comunistas. E logo em seguida, os teólogos católicos americanos disseram aos Estados Unidos que “era o seu dever usar a bomba atômica e a Bomba H”.

No ano seguinte, 1950, a “imagem peregrina”, que havia começado a viajar em 1947, no ano exato do início da Guerra Fria, foi enviada de avião, acompanhada pelo Padre Arthur Brassardi, sob as ordens expressas de Pio XII... para Moscou. Ali, com a calorosa aprovação do Almirante Kirk, Embaixador Americano, ela foi solenemente entronizada na Igreja dos Diplomatas Estrangeiros. Com a razão específica de aguardar a iminente liberação da Rússia soviética”. Essa “iminente liberação esperou por quarenta longos anos, quando o papa João Paulo II e a CIA conseguiram derrubar o regime comunista na União Soviética, dando à Senhora de Fátima todo o crédito desse “ milagre”. Afinal, ela é uma “amazona” guerreira invencível! E o seu papa favorito era um sucessor na linha “apostólica” de ocupantes do trono de Pedro...

Para reforçar o esquema de Pio XII, a Senhora de Fátima apareceu quinze vezes a uma freira nas Filipinas, sempre repetindo sua admoestação contra o Comunismo... Também “apareceu” ao papa, do mesmo modo como aparecera às crianças de Fátima.

O Senador McCarty e muitos dos seus apoiadores começaram a advogar a III Guerra Mundial. Os promotores americanos dessa guerra exterminadora, liderados por proeminentes católicos, estavam se preparando fervorosamente para desencadeá-la contra a Rússia. Católicos importantes, ocupando as posições mais responsáveis do país, não falavam de outra coisa.

No dia 06 de agosto de 1949, o Advogado católico, General Mac Grath, dirigindo-se às “tropas de choque” católicas dos Estados Unidos – Os Cavaleiros de Colombo – em sua convenção em Portland, Oregon, apressou os católicos a “se levantarem e se colocarem, como armadura da Igreja Católica militante, em batalha para salvar o Cristianismo” (Cristianismo = Igreja Católica).

Ele ainda apressava o país a uma “defesa ostensiva”, isto é, a III Guerra Mundial.

Naquele mesmo ano, outro católico, que era uma das personalidades mais altas do governo americano, James Forestal, o principal cruzado contra o Comunismo nacional e estrangeiro, ajudou o Papa Pio XII a vencer as eleições na Itália, enviando-lhe dinheiro americano, além de dinheiro de seu próprio bolso. James Forestal, que estava em constante contato com o Vaticano e com o Cardeal Spellman, seu diretor espiritual, sabia melhor do que ninguém o que estava acontecendo em certos quadrantes americanos católicos. Ele era o Secretário Americano da Defesa.

Um dia, quando escutou o barulho de uma aeronave de guerra, ele saiu correndo por uma rua de Washington, com a mais fatídica das mensagens: “os russos nos invadiram”, gritava ele.

Mais tarde, sem levar em conta a garantia de Pio XII de que os russos seriam derrotados com o auxílio da Senhora de Fátima, ele pulou de uma janela do 16º andar de um prédio, no Capitólio Americano, temendo que fosse tarde demais para derrotar os russos. Nessa hora fatídica, a Senhora de Fátima nada pôde fazer para acudir o seu mais graduado e fervoroso devoto americano! Isso é o que se pode chamar um verdadeiro sacrifício de sangue!

O nome de código da III Guerra Mundial era exatamente “Fátima”. Pio XII desejava liquidar os russos, não apenas por causa do Comunismo, mas também por causa de sua religião ortodoxa, que sempre foi um espinho no sapato de todos os papas do Catolicismo. Como tentou dar cabo dos russos, através da II Guerra Mundial, e quase conseguiu fazer a III Guerra Mundial, com o mesmo objetivo, esse papa já está quase garantido na canonização por ter sido um dos mais “infalíveis” da Santa Madre Igreja! E, principalmente, porque em seus últimos anos de vida, encharcado de drogas e com sérios problemas nervosos, ele já estava conversando com “Jesus”, o tempo inteiro!

A condenação do comunismo pela Igreja é antiga e que já vinha desde 1846 na Encíclica Qui pluribus onde Pio IX foi textual: "Para aqui (tende) essa doutrina nefanda do chamado comunismo, sumamente contrária ao próprio direito natural, a qual, uma vez admitida, levaria à subversão radical dos direitos, das coisas, das propriedades de todos e da própria sociedade humana"

Leão XIII, na sua Encíclica Quod Apostolici muneris de 1878 , na qual afirmava, de modo contundente, a respeito do comunismo: "Peste mortífera, que invade a medula da sociedade humana e a conduz a um perigo extremo" O Papa Leão XIII refutou como falsas as teorias socialistas marxistas e defendeu a propriedade privada, acreditando que as soluções iriam surgir das acções combinadas da Igreja, do Estado, dos empregadores e dos empregados.

Papa Pio XI em 1931,publica a encíclica: Quadragesimo anno motivado pela Grande Depressão de 1929. Neste documento, reitera a condenação do comunismo, faz também forte crítica do socialismo, inclusive do "socialismo moderado" e o considera inteiramente incompatível com a prática e a fé católica.
Divini Redemptoris é uma carta encíclica publicada pelo Papa Pio XI em 19 de março de 1937 (dia festa de São José na Igreja Católica) sobre o "comunismo ateu".
Na introdução o Papa chama o comunismo de perigo ameaçador:
"é do comunismo, denominado bolchevista e ateu, que se propõe como fim peculiar revolucionar radicalmente a ordem social e subverter os próprios fundamentos da civilização cristã."

Central Intelligence Agency (CIA), A agência foi criada em 1947 pelo presidente Harry S. Trumanmediante um pacto governamental de Segurança Nacional para satisfazer uma necessidade estratégica devido ao início da Guerra Fria e ao avanço do comunismo.
Para coordenar as atividades da Agência, existe uma Diretoria Central de Inteligência, cuja função é interligar a comunidade de informação ao Presidente dos Estados
Unidos, fazendo aconselhamento das melhores estratégias possíveis e suas conseqüências, de forma a intervir, quando necessário, em organizações ou Estados que possam causar prejuízo aos Estados Unidos. 18 de abril de 1948, são convocadas eleições gerais , comunistas e socialistas coligaram-se contra a Democracia Cristã liderada por De Gasperi.


Coerente com o magistério da Igreja que já condenava o marxismo como heresia desde antes de Leão XIII e através da encíclica Rerum Novarum e de outros documentos pontifícios de seus sucessores, naquelas eleições prestou claro apoio a De Gasperi e à Democracia Cristã Italiana que, afinal, saiu-se vitoriosa, e proibiu o clero católico de votar no PCI (Partito Communista D'Italia) o que, segundo seus críticos, seria mostra de seu viés conservador.
Na verdade Pio XII se empenhara naquela eleição e com ele toda a Igreja Católica para garantir a vitória da Democracia Cristã na Itália e evitar que sucedesse na nascente democracia italiana o que vinha ocorrendo então, na denominada Cortina de Ferro. Em várias oportunidades tratou do tema como na Carta Apostólica Dum maerenti animo - A Igreja perseguida na Europa do Leste (29 de junho de 1956) e na Carta Apostólica "Sacro vergente anno" - Consagração da Rússia ao Coração Imaculado de Maria (7 de julho de 1952
)

Deste modo todos os católicos que votarem (é uma espécie de prestar favor) ou se filiarem em partidos comunistas, escreverem livros filo-comunistas, ou revistas estão excluídos dos sacramentos.

Os que defenderem, propagarem ou declararem o materialismo dos comunistas também estão excomungados automaticamente.


Esse decreto do Santo Ofício de Pio XII, que foi confirmado por João XXIII em 1959, continua válido.

Aliás, Pio XII trabalhou pessoalmente contra o comunismo na Itália.

Tal condenação do comunismo se soma às condenações feitas por Pio IX, Leão XIII, São Pio X, Pio XI, Pio XII (ele também condenou em outras oportunidades), João XXIII, Paulo VI, Concílio Vaticano II (reiterou as condenações precedentes) e João Paulo II.

Faz mais de cem anos que a Igreja Católica condena o comunismo, socialismo e qualquer tipo de materialismo e igualdade material. A pena para os que desobedecem a proibição de ajudar o comunismo (ou suas variantes) sob qualquer aspecto (incluindo a votação nos partidos filo-comunistas) é a excomunhão automática.

"Socialismo religioso, socialismo cristão, são termos contraditórios: ninguém pode ao mesmo tempo ser bom católico e socialista verdadeiro" (Pio XI)

Pio XII, durante a Segunda Guerra Mundial, considerado o mais poderoso sacerdote da história moderna. preocupado com o avanço do bolchevismo russo para oeste europeu, sempre foi indiferente aos judeos, dizia que eles eram capazes de cuidarem de si mesmos, acordos foram feitos com o partido Nazista que estava proliferando no começo dos anos 30 e Hitler precisava do apoio do vaticano, que para Pacelli era a garantia que os católicos nao seriam molestados pelos nazistas e o patrimonio do Vaticano nao seria afetado ou tomado e os nazistas por sua vez, neutralizariam assim o potencial católico na época, o que mais ligou o papa aos nazistas era o anticomunismo e o antijudaísmo de ambos.

União Soviética e os comunistas não aceitam a autoridade do Papa pois em teoria, são ateus.Isso nunca impediu que existisse na Rússia e nos países do leste, a Igreja Ortodoxa, que é a entidade religiosa máxima destes países.

O João Paulo II também era um fervoroso combatente do comunismo e seu principal aliado foi o presidente americano Ronald Reagan.

Nascido na Polônia, Wojtyla foi considerado um militante anticomunista, que ajudou a derrotar as ditaduras socialistas do Leste Europeu e a esfriar a Guerra Fria, questionou a Teologia da Libertação, optou por atacar os instrumentos marxistas e as propostas que considerava materialistas e discriminatórias utilizadas na defesa dos que estão à margem da sociedade.

Apoiava fortemente o sindicato polonês Solidariedade, e a maior parte dos historiadores concorda que o pontífice teve uma participação importante nos eventos que levaram à formação do primeiro governo eleito livremente no Leste Europeu e à queda do Muro de Berlim, tanto o muro como o regime comunista desabaram pelo trabalho silencioso e forte de João Paulo II,

Também em prol da união da fé, João Paulo II agiu como estadista. Sempre pediu que as religiões não fossem usadas para justificar a violência. Foi o primeiro papa que pisou em uma sinagoga, que entrou numa igreja protestante e que visitou uma mesquita.

Em 1996, o presidente cubano, Fidel Castro, visitou o Papa, o que representou o primeiro passo para a normalização das atividades religiosas em Cuba.

Já no século 21, João Paulo II tornou-se o primeiro papa a receber uma delegação oficial da Igreja Ortodoxa Grega desde o cisma entre Oriente e Ocidente. Durante uma visita a Atenas, em 2001, o papa pediu a Deus para perdoar os católicos romanos por mil anos de pecados contra os cristãos ortodoxos.

Ele também pediu perdão aos muçulmanos pelas Cruzadas e aos judeus por séculos de anti-semitismo.

Em 25 de janeiro de 1998, o Papa esteve em Havana, capital de Cuba, onde permaneceu por cinco dias. O convite partiu do presidente cubano Fidel Castro. Foi a primeira vez que um Santo Padre rezou uma missa campal na ilha comunista.
Mas um sonho foi impossível, para João Paulo II: uma visita a Moscou, a capital da Rússia e grande berço do socialismo. O governo russo simplesmente não autoriza a visita do Santo Padre.
Alexis II patriarca de igreja Ortodoxa Russa, e que tinha vínculos estreitos com o Kremlin era contrário a atividades de missionários católicos na Rússia e na Ucrânia, acusando os católicos de proselitismo,se opos a viagem do Papa João Paulo II à Rússia, argumentando que o Vaticano estaria a tentar promover a fé católica no país.
Durante o seu patriarcado, Alexis II teve uma influência preponderante na sociedade russa, ainda que a Constituição nacional estipule que a Rússia é um Estado composto por várias confissões religiosas, integrado por ortodoxos, muçulmanos, judeus e budistas.
Após a queda da União Soviética, ele liderou um grande renascimento religioso na Rússia, levando à construção de centenas de igrejas novas em todo o país.
Alexis II foi acusado várias vezes de ter sido informador dos antigos serviços secretos russos, o KGB, acusação que o patriarcado de Moscovo negou sempre. O religioso reconheceu, porém, que as autoridades religiosas chegaram a alguns acordos com o governo soviético e pediu perdão e compreensão a todos aqueles a quem a cumplicidade da Igreja pudesse ter causado danos, durante uma entrevista dada em 1991.
Durante a recta final do seu patriarcado deu impulso a um aproximar da sua ortodoxia à Igreja Católica. Sucessivos encontros entre Alexis e João Paulo II foram sendo previstos, em território neutro, mas foram sempre adiados, por oposição do patriarca russo. Só com a eleição do alemão Joseph Ratzinger para Papa – Bento XVI – Alexis começou a mostrar sinais de abertura a uma aproximação mais efectiva ao Vaticano. Numa primeira reacção à morte do religioso russo, a Santa Sé exprimiu a sua "surpresa" e a sua "dor" perante o anúncio da morte do patriarca.

A viagem mais famosa de João Paulo II ocorreu ao santuário de Fátima, em Portugal.

Era o dia 13 de maio de 2000 e a Igreja Católica surpreendeu o mundo ao anunciar a Terceira Revelação de Fátima, porque já estava cumprido, a Irmã Lucia quando leu a interpretação do Vaticano, sobre o Segredo, preparado pela Congregação da Fé, concordou com ele.

Na ocasião, o polonês beatificou os irmãos Francisco e Jacinta Marto.

No ano 2000 a Igreja Católica revelou ao mundo o que em 1917 teria aparecido para as três crianças em Portugal, o terceiro segredo de Fátima, que segundo a análise do Vaticano, o segredo estaria relacionado ao atentado contra o Papa. Cumpriu-se assim, o que Nossa Senhora tinha dito às crianças em 1917, "por fim o meu Coração Imaculado triunfará."

O Papa foi baleado, por iniciativa da comunista União Soviética exatamente no dia 13 de maio de 1981, dia de Nossa Senhora de Fátima, que milagrosamente a salvou da morte, como disseram os médicos que operaram. O próprio Papa disse: “uma mão criminosa puxou o gatilho, mas outra Mão guiou a bala”.

No ano seguinte, no dia 13 de maio de 1982, o Papa foi a Fátima e levou esta bala para ser colocada no coroa de Nossa Senhora.

Ela venceu (?) , o Papa sobreviveu e o comunismo ateu e materialista desabou.

O Sumo Pontífice sempre afirmou que a Virgem Maria teria "desviado as balas".

Conforme divulgou o Vaticano, o terceiro mistério anunciado pela Virgem aos pastores era a imagem de um bispo vestido de branco que caminhava entre os corpos de mártires caídos ao chão, aparentemente mortos, sob uma chuva de disparos. A Praça de São Pedro é rodeada de imagens de santos e mártires. A revelação do mistério encerrou décadas de suposições, muitas delas relacionando o segredo a profecias apocalípticas como o fim do mundo.


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário