terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Povo indígena ainda na busca de seus direitos

Dezenove de abril, dia de um povo livre, que planta para comer, que tem as suas próprias regras e a reza como crença mais forte. Que não se apega aos bens materiais, tampouco ao consumismo que assola a população dos dias atuais. Enfim, o Dia do Índio, um povo humilde que luta constantemente para manter uma cultura que permanece há milhares de anos. Por mais que plantar seja uma das características principais desse povo, em Piraquara, os índios guaranis da Aldeia Araçá-í estavam impossibilitados de manter esta tradição. Porém, após uma reivindicação encaminhada ao Ministério Público, no início deste mês, eles conquistaram mais esse direito, que, no entanto, já era deles. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Turismo, Gilmar Zachi Clavisso, dos 40 hectares, que em 2007 foi decretado pela prefeitura municipal Espaço Etno Biodiverso M’Bya (terra indígena), 15 mil m² agora é destinado para a lavoura, onde eles irão trabalhar com a agricultura orgânica para manter a base alimentar da aldeia. Mandioca, feijão, milho e abóbora são apenas alguns dos alimentos que eles irão plantar.

Índios Guaranis Segundo dados do Sistema de Informação de Atenção à Saúde Indígena (Siasi), da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), a estimativa é que o Paraná concentra cerca de 12.600 índios, desses 3.900 mil indígenas são da etnia guarani.
Em Piraquara (região metropolitana de Curitiba), eles são originários de Mangueirinha, de onde vieram há cerca de nove anos. As 15 famílias existentes somam uma população em torno de 80 índios.

“É muito importante manter está cultura que faz parte da nossa história. Os índios são os verdadeiros donos dessas terras”, declarou Clavisso.
Fonte: agoraparana.uol.com.br

Um comentário:

  1. gostei muito porque me ajudou a fazer meu trabalho da feira de conhecimento♥

    ResponderExcluir