sexta-feira, 3 de abril de 2009

video

“As Drogas e o Rock'n Roll”
Não é de hoje que a tríade "Sexo, Drogas e Rock'n Roll" traz a tona a sua face mais obscura, o cerceamento de vidas humanas e a extinção prematura de grandes talentos, principalmente com relação às drogas, sejam elas "lícitas" ou não.O início do consumo de drogas em larga escala nas décadas de 60 e 70, desencadeado pelo denominado "conflito de gerações" e embalado ao som psicodélico das bandas da época, mesmo carregando nos ombros as trágicas mortes por overdose de Jimi Hendrix, Janis Joplin e Jim Morrison, todos aos 27 anos e em um espaço de tempo pouco superior a 1 ano, chega a ser romântico se comparado a barra pesada que rola nos dias de hoje.

Além do sexo e da violência, a música rock contribui ainda para o abuso de drogas. Desde 26 de setembro de 1969 a revista "Times," fez um comentário sobre "o uso freqüente e aberto de drogas pelos compositores de rock; e de suas composições que são repletas da menção do uso de drogas." Canções tais como "Proveito do Inferno" e "Heroína," ajudam a encorajar alguns jovens para o experimento de drogas, com conseqüências trágicas para eles. (John Cale, Spin, maio de 1990, pg. 30).
Como foi noticiado na revista "Life" em 3 de outubro de 1969, Jimi Hendrix, cuja filosofia básica era o sexo desenfreado e o uso de droga, comentou:

"Pode-se hipnotizar as pessoas com a música e quando as tivermos em seu ponto mais frágil, pode-se preconizar no subconsciente, o que nós quisermos dizer."


Muitas das estrelas famosas do rock, tiveram que pagar o seu preço com a morte, pelo uso da droga, em uma rápida repassada nas 3 últimas décadas, chega-se a esta lista de nomes assustadoramente grande de óbitos relacionados ao consumo de drogas, entre eles estão: Brian Jones dos "Rolling Stones;" Dennis Wilson dos "Beach Boys;" Jimi Hendrix; Jim Morrison do "The Door;" Elvis Presley; Janis Joplin; " Frankie Lymon; Tim Harden; Phil Lynott do "Thin Lizzie" Gram Parsons (Byrds, 26 anos), Keith Moon (The Who, 31 anos), Bon Scott (AC/DC, 33 anos), Tommy Bolin (Deep Purple, 25 anos), Billy Murcia (New York Dolls, 21 anos), Johnny Thunders (New York Dolls, 38 anos), Ron McKernan (Greatful Dead, 27 anos), Paul Kossof (Free, 25 anos), Sid Vicious (Sex Pistols, 21 anos), Hillel Slovak (Red Hot Chili Peppers, 25 anos), Brad Nowell (Sublime, 28 anos), Shannon Hoon (Blind Melon, 28 anos), Kristen Pfaff (Hole, 27 anos), Andrew Wood (Mother Love Bone / Temple of the Dog, 24 anos), Jonathan Melvoin (Smashing Pumpkins, 34 anos), Steve Clark (Def Leppard, 30 anos), Bobby Sheehan (Blues Traveler, 31 anos),Para finalizar a lista temos o cantor líder, do grupo "Temptations," David Ruffin, que morreu de uma super dose de cocaína, entre os brasileiros Raul Seixas (44 anos), Cássia Eller (36 anos)... Um fato importante a ser considerado é que a grande maioria dos artistas acima morreram entre os 20 e 30 anos de idade. John Lennon, que foi um defensor da liberalização das drogas, ironicamente, foi assassinado a tiros em 1980 por jovem viciado em LSD.

E não pára por aí, se formos pesquisar a fundo, essa lista se tornaria lamentávelmente gigantesca, isso, sem citar os que muitas vezes passaram de raspão na morte, e por pura sorte, estão vivos até hoje. Mick Jagger e Keith Richards estavam com 37 anos quando o Rolling Stones lançou o álbum "Tattoo You", um dos maiores sucessos da banda. O veterano Alice Cooper, aos 54 anos, continua firme em sua carreira, tendo lançando em 2001 o seu mais novo álbum, "Brutal Planet". Roger Waters, ex-Pink Floyd, trouxe para o Brasil aos 54 anos sua mega-turnê "In The Flesh".Falando em Roger Waters, vale relembrar o genial guitarrista e compositor Syd Barret, 52 anos, um dos fundadores do Pink Floyd ao lado de Waters, que desde os anos 70 sofre de sérios problemas psicológicos em decorrência do uso de drogas.
Mas apesar disto, as drogas têm ainda um papel principal na música rock e isto parece ter um efeito nocivo em muitos daqueles que a ouvem.
Uma das pesquisas feitas pela Post Graduate Medicine chegou à conclusão que:
"Os fatos comprovam, que a música rock, via de regra, estimula o uso de drogas, o sexo promíscuo e a violência."

A morte de Layne Staley, vocalista do Alice in Chains, banda formada em 1987 que juntamente com Nirvana, Pearl Jam e Soundgarden, foi uma das precurssoras do grunge de Seattle, estilo que tomou o mundo de assalto no início dos anos 90. Staley que estava com 34 anos, há tempos vinha demonstrando seus problemas com as drogas, em especial a heroína, acabou por desestruturar a carreira da banda, que desde o álbum "Alice in Chains" de 1995, não lançava nenhum trabalho com músicas inéditas.

Kurt Cobain teria motivos para cometer suicídio? É conhecido por todos que ele não levava uma vida saudável. O excesso de drogas e a depressão o acompanhavam há muitos anos (segundo alguns, desde a infância). Um mês antes de sua morte, Kurt tomou uma mistura de champagne com Rohypnol (um sedativo) que quase o levou à morte.Mas não foi essa sua única experiência de quase morrer. Logo depois da gravação do disco “In Utero”, em Minnesota, em 1993, Cobain foi hospitalizado por uma overdose. Semanas depois, ele entrou em uma paranóia de estar sendo perseguido e comprou diversas armas.Além das drogas, Kurt sentia-se muito mal com a fama. Não sabia lidar com ela, em um entrevista, certa vez declarou: “Estar numa banda de rock não é exatamente como eu imaginava... já não gosto mais disso tanto quanto no começo...” As letras de Kurt também traziam a tristeza/depressão do músico


Estrelas do rock, bem conhecidas por um estilo de vida extremo, tem uma chance maior de morrer antes de chegar à terceira idade do que outras pessoas.
Um estudo de mais de 1.000 artistas, principalmente britânicos e norte-americanos, desde a época de Elvis Presley até o rapper Eminem, descobriu que eles tinham de duas a três vezes mais chances de sofrer de morte prematura do que a população geral.
Entre 1956 e 2005, houve 100 mortes entre os 1.064 músicos analisados por pesquisadores do Centro de Saúde Pública na universidade John Moores, em Liverpool.
Assim como Presley, o rol dos que morreram antes da hora inclui o vocalista do The Doors Jim Morrison, o guitarrista Jimi Hendrix e o líder do Nirvaba Kurt Cobain.
Mais de 25 por cento de todas as mortes estavam relacionadas a abuso de drogas e álcool, disse o estudo no Journal of Epidemial Community Health.
"O documento descreve claramente uma população de estrelas do Pop e do Rock que têm um risco desproporcional de mortes relacionadas ao álcool e às drogas", disse Mark Bellis, um dos principais autores do estudo.
Ele disse que o estudo levantou questões sobre a conveniência de usar estrelas do Rock em mensagens de saúde pública, como campanhas anti-drogas, já que levam uma vida cheia de riscos.
"Na indústria da música, fatores como estresse, mudanças de popularidade para obscuridade, e exposição a ambientes onde álcool e drogas estão facilmente disponíveis, podem contribuir para uso dessas substâncias assim como outro comportamentos auto-destritivos"

OAS_AD('Middle');Cesar Dechen

Nenhum comentário:

Postar um comentário